segunda-feira, 10 de maio de 2010

Heim?

Eu não entendo...

1. ... porque as pessoas acham que é muito legal ouvir música no celular SEM o fone de ouvido e, por consequência, fazem todos ouvirem a mesma música (que geralmente é pagode!)

2. ... porque ninguém fala o nome do tal vulcão da Islândia. Tudo bem que o nome dele é algo como EYJAFJALLAJOKULL. Mas então porque os jornalistas o chamam de "vulcão de nome quase impronunciável"? Se é QUASE impronunciável, porque você não pronuncia, porra?


PS: "vulcão de nome quase impronunciável" não te faz pensar em Voldemort, "aquele que não deve ser nomeado"? hahaha

;)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Praça XV - Mal. Hermes

Minhas aventuras no ônibus estão cada vez melhores...

Ontem, voltando pra casa, entrei no ônibus com bolsa, jaqueta, pasta, tudo numa mão só e me segurando com a outra.

Eis que um menino novinho, com cara de bonzinho, mais rápido do que se possa dizer 'assento preferencial', ofereceu o lugar dele pra mim. E eu "po, não precisa, você já vai descer?" e ele "não, mas senta aqui, pode sentar" e levantou. E eu sentei né, não ia dar mole, pessoa cansada que sou.

Aí eu pensei, porra, porque o moleque ME deixou sentar sendo que tinham outras mulheres em pé? Então...

Opção 1 - Ele achou que eu tava grávida.
Ok, eu não tô fazendo a Gisele Bundchen ultimamente, mas daí achar que eu tô grávida é FODA.

Opção 2 - Ele ficou com pena das minhas olheiras.
Sério, essa eu até entendia, porque eu tenho umas olheiras tão bem desenvolvidas que meu digníssimo me chama de Kung Fu Panda.

Opção 3 - Todas as alternativas anteriores.
Ele achou que eu era uma grávida cansada e se penalizou.

Legal.

Sou uma panda grávida.

Próxima!

_|_

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Del Castilho - Fundão

Entrei no ônibus e não tinha mais lugar sentado. Fui a primeira a ficar em pé... odeio quando isso acontece.

Fui lá pra trás e o vidro traseiro tava sem aquelas propagandas busdoor, sabe? Aí dava pra ver todo o trânsito atrás do ônibus.

Eis que estávamos no engarramento da linha amarela e de repente eu olho pra trás e vejo uma mulher cantando sozinha dentro do seu carro.

Ok. Ela tava só cantando. Pensei "pô, que legal, ela tá feliz né"

Ok. Ela começou a dançar. E se empolgou. Se empolgou SÉRIO.

Gente, a moça-feliz-do-engarrafamento começou a dançar horrores dentro do carro. E ela cantava alto e fazia gestos e levantava as mãozinhas, parecia que tava numa boate. E as pessoas passavam por ela no engarramento com uma cara de "que porra é esta??" e ela não tava nem aí.

Quando me dei conta eu tava rindo sozinha dentro do ônibus e reparei que as pessoas também me olhavam com caras estranhas. E percebi que, ao contrário da moça-feliz-do-engarrafamento, eu me importava com o que as pessoas pensavam de mim.

Aí eu pensei "porra, vão se fuder, vocês pagam minhas contas?" e continuei rindo. Porque quando eu crescer eu quero ser igual a moça-feliz-do-engarrafamento.

;)