quinta-feira, 29 de julho de 2010

Veríssimo

"Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!
Conversa é melhor do que piada.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Sonhar é melhor do que NADA!"

terça-feira, 27 de julho de 2010

A minha saga Twilight

Tudo começou com uma idéia despretensiosa de ler o primeiro livro, porque tava rolando toda uma comoção em torno do primeiro filme que estava pra estreiar: Twilight.

Sim, eu sei, eu me rendo à modinhas, blá blá blá...

Mas rolava uma expectativa de que Twilight fosse melhor que Harry Potter. Eu tinha que conferir, mexeu na ferida né.

Como eu tenho TOC, precisava ler o livro antes de ver o filme. Então comprei né. Aproveitei e comprei em inglês, pelo menos eu treinava o vocabulário.

E daí surgiu o primeiro problema. Eu sou a única Engenheira que eu conheço que é metida a criticar a forma de escrita dos autores dos livros que eu leio. E a Stephenie Meyer me deixava tensa.

Meu Deus, como ela enrolava. Tudo era motivo pra uma declaração de amor. Em toda cena cabia uma melação. O que eu resumiria em duas frases, ela escrevia em 10 parágrafos.

Ok, eu usei a técnica do embromation na minha monografia, mas, minha gente, sejamos práticos né. O Edward ama a Bella. A Bella ama o Edward. PONTO FINAL. Porque descrever isso com 50 comparações diferentes?

Acabei o primeiro livro me forçando a leitura. E fui ver o filme. Que eu achei uma péssima adaptação, aliás.

Cenas invertidas e mal cortadas, coisas mal encaixadas. Pouco claro pra quem não leu o livro. Isso sem falar na escolha dos atores, que não fazem jus à descrição dos seus personagens nos livros. Nem psicologicamente e nem dentro do roteiro que deveria ser fiel ao livro.

Mas.. livro lido, filme assistido. Missão cumprida né? Há, o problema tinha apenas começado.

Lembra do meu TOC? Pois é. Era contra o meu ser ler 1 livro só de uma coleção de 4 livros.

Ok, lá fomos nós. Comprei o New Moon. Que bateu os recordes de melação de Twilight. A Stephenie tava ficando boa nisso. Mas eu fui até o fim. Aquela vaca não ia me vencer.

Vi o filme, pensando em dar uma segunda chance à adaptação. Bleh, não me conquistou.

E então eu precisava ler o Eclipse. Era questão de honra já. Aí comecei a ler. E não dava, não descia. Abandonei. Um a zero pra você, Stephenie.

Mas aí minha amiga pediu meus livros emprestados e falou que valia a pena passar pela parte chata do início de Eclipse porque depois o livro ficava bom. E eu pensei... será que isso tudo é um plano da Stephenie pra me sacanear?

Comecei a ler o Eclipse de novo. Porra, não dava. Abandonei de novo. Já era, desisto, você venceu, Stephenie.

Aí o filme Eclipse ia estreiar. E meu TOC bateu de novo. Porque eu ia querer ver o filme. Sim, eu ia querer fazer isso comigo. E eu só podia ver o filme depois que eu lesse o livro.

Soprei a poeira da porra do Eclipse, levantei a cabeça, respirei fundo e comecei a leitura pela TERCEIRA vez.

Porra, mas a Stephenie era mesmo uma filha da puta. De onde, meu Deus, de onde ela tirava tanta melação? Mas eu consegui. Vitória! Eu li até o fim. A guerra tava acabando.

Fui ver o filme. Não, também não me conquistou. Se o Jacob aparecesse em todas as cenas sem camisa talvez a minha idéia mudasse, mas... enfim. Deixa pra lá.

E então eu precisava ler o último livro. A batalha final entre Stephenie e eu. Ganhei o Breaking Dawn de presente. E assim que eu acabei o Eclipse já emendei nele pra não perder as forças. Eu não via a hora daquilo tudo acabar. Eu precisava me desvencilhar dessa sina em que eu tinha me metido.

A essa altura eu já tava acostumada com a melação escorregadia daquela vaca. Já tava preparada. Mas eu não esperava o golpe certeiro que ela ia me dar...

Ela fez a Bella engravidar. Do Edward. O vampiro.

Já era de uma puta coragem ela falar que vampiros brilham no sol. Mas, minha gente, ela engravidou a Bella (!!!).

E mesmo quando meu namorado veio me explicar que aquilo era possível nas histórias loucas de vampiros que eu não entendo, já era demais pra mim. Eu já tava achando que aquilo era o Bebê de Rosemary. Porque a Bella não tava carregando uma criança normal. Nãããoo. Era um monstrinho que fodia ela inteira por dentro porque crescia em velocidade da luz e precisava de sangue.

Era demais pra minha cabeça. Ninguém sabe o que eu passei.

Mas eu lutei. Lutei até o fim. Vi a criança esquisita nascer. O Jacob se apaixonar por ela e eles brigarem com a polícia dos vampiros, os Volturi.

E todo mundo sobreviveu. Todos viveram felizes para sempre.

E eu?

Ah, eu perdi sérias horas da minha vida lendo estes livros. Não me acrescentaram quase nada. Não mudaram minha vida em nada.

Aí sabe o que eu fiz?

Comprei o outro livro da Stephenie Meyer.

É, eu sei. Eu também tô me xingando...

;)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Adorável Psicose: O problema

Adorável Psicose: O problema: "É que eu sempre acho que sou a única que continua pensando sobre o assunto, enquanto os outros estão tomando champanhe e rindo para o alto,..."

--

Chique não? E é bem verdade...

Apa !

Sério..

odeio essas marés de azar que batem de vez em quando.

A última gracinha foi perder a chave do carro hoje de manhã.

Pra mim já deu, heim!

Apa porra, destino!

Vamos voltando a ficar bonzinho que essas sacanagens já perderam a graça!

Bleeeehh !!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Créu

Tem dois anos e alguns meses que eu trabalho aqui no meu trabalho... isso quer dizer que eu passei por poucas e boas, situações engraçadas e stresses.

E, em relação ao trabalho, eu criei muitas planilhas que facilitavam minha vida.

E que se ligavam. E que faziam o controle financeiro. E que deixavam meu dia mais feliz.

Aí um dia a gente acordou e o servidor deu pau.

E a gente não tinha back-up.

T-H-E. E-N-D.


-- x -- x --


UPDATE - 16-07-10

Ontem uma empresa que trabalha recuperando arquivos (Salvadora da Pátria S.A.) informou que consegue recuperar 90% dos arquivos perdidos.

Deus, que os 10% restantes não sejam meus. Amém.

domingo, 11 de julho de 2010

Heim?

Pára pra pensar...

eu trabalho pra pagar um carro que eu comprei pra ir trabalhar.

Porque então eu não posso vender o carro e ficar em casa coçando?

Que coisa mais sem sentido heim, minha gente...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Identificando-me...

"... Queria tanto um dia conseguir controlar essa cólera que surge de repente e explode na minha cabeça, deixando uma nuvem vermelha diante dos olhos que me impede de enxergar presente, passado, futuro e tomar decisões acertadas! Remédios. Terapia. Florais. Meditação. Não adianta. Nem mesmo a lembrança de toda a tristeza ajuda, porque na hora, a nuvem vermelha encobre o juízo.

Vivo eternamente tentando agradar e amar e ser boa, porque sei que em algum momento vou estragar tudo, e minha esperança é que a pessoa relembre esses bons momentos para suportar a explosão e me perdoar. É claro que isso não acontece, porque eu 'destruo tudo com uma frase'. O problema é que esse 'tudo' engloba, principalmente, a mim mesma. Dez segundos de explosão e eu volto a ser um trapo de gente, volto para a miséria da qual demorei tanto tempo para sair."

--

Roubado do Mary Jo living alone e devidamente encaixado à minha personalidade.