quinta-feira, 30 de junho de 2011

Fuckin' Perfect

"Made a wrong turn
Once or twice
Dug my way out
Blood and fire
Bad decisions
That's alright
Welcome to my silly life

Mistreated, misplaced, missundaztood
Miss know it, it's all good
It didn't slow me down
Mistaken, always second guessing
Underestimated, look I'm still around..."

Pink - "Fuckin' Perfect"

--

E vamo que vamo, nova fase ! =)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

não gosto

não gosto de gente de meias palavras
que não assume o que diz
que não fala o que pensa
e que volta atrás quando viu que falou o que pensava e deu merda

não gosto de gente que não assume seus erros
que esquece suas responsabilidades
e que não tem consideração com quem chama de amigo

não gosto de olhares falsos
que te olham de cima abaixo
e te julgam pela aparência

não gosto de sorrisos insinceros
de gargalhadas curtas
e de risos de canto de boca

mantenho os meus bem perto
e os não-meus em uma distância segura

faço favores a torto e a direito
e não os recebo em troca na mesma proporção

sou sincera que me dói
e tento manter a consciência limpa

e a vida segue
e eu frequentemente sou feliz assim

então porque eu vejo por aí que é tão difícil ter pessoas que pensam assim também?

sábado, 4 de junho de 2011

Oi?


Oi, avisa pra ela que um papel pardo com um A3 colorido com guache não vale 6 mil reais?

Acho que a mudança de sexo tirou mais que o pintinho, um pedaço do cérebro foi junto .... #prontofalei

Mais informações aqui

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ride the wave

Às vezes eu me pego lendo as postagens mais antigas do blog e percebo o quanto eu mudo em tão pouco tempo. E me dei conta que eu sempre fui assim. Sempre mudei. Algumas vezes pra melhor, outras nem tanto.

Hoje eu me pergunto: Quando foi que eu me tornei a pessoa que eu sou hoje?

E olha, a resposta é simples: Eu não sei.

Só sei que de um ano pra cá eu mudei algo da minha personalidade que realmente me incomoda. Eu me tornei uma pessoa negativa, desconfiada. Parei de ver o lado bom das coisas.

E eu me faço acreditar que talvez tenham sido as circunstâncias da vida, ou as pessoas com quem eu convivi. Mas a verdade é que eu me deixei levar por um primeiro pensamento de que as coisas podiam não dar certo e foi só o que bastou.

Esse primeiro pensamento, eu não sei qual foi. Mas sei que hoje eu tenho visto tudo de uma maneira tão mais sombria, tão mais desconfiada... isso me incomoda. E faz mal, sabe?

Por mais infantil que possa soar, eu me prefiro vendo o mundo mais colorido, mais tranquilo, achando que tudo vira e que existe uma energia que equilibra o universo.

A parte da energia é mole de acreditar. Mas eu tenho achado tão difícil acreditar na bondade das pessoas.

Isso não soa estranho? Ser mais fácil acreditar naquilo que não se vê? Não é esquisito?

Por sorte, hoje eu tomei uma primeira cutucada que eu acho que pode vir a ser um pequeno empurrão pra um novo caminho.

Abri um e-mail antigo que dizia que invés de fazer coisas grandiosas, o que a gente tem que buscar é fazer coisas pequenas que mostrem pra quem importa o quanto amamos essa pessoa.

E isso me fez pensar... bora praticar o desapego?

Ficar se prendendo em quem não acrescenta boas coisas ou não te quer bem não é o melhor caminho. A boa é manter as coisas simples. Querer bem quem te faz bem.

É a velha lógica do The Energy Bus do Jon Gordon: deixe subir no seu ônibus quem te traz boas energias.

E vamo ver no que isso vai dar!

^^ Ride the wave !