sexta-feira, 15 de julho de 2011

Nova era

Hoje é meu último dia de trabalho no lugar que eu trabalhei por 3 anos e alguns meses. E como seria meu último "passeio" de carro até ele, queria que a trilha sonora no caminho fosse especial

Acabou que eu, enrolada como sempre, esqueci de gravar as músicas pra ouvir no carro. E fui reclamando e me xingando de lerda porque aquele momento "eu-comigo-mesma" poderia estar sendo especial e não estava sendo.

Foi aí que tocou "Scar Tissue", dos Red Hot Chili Peppers no rádio. Essa música não diz coisa com coisa, ao meu ver. Mas ela faz lembrar de uma época muito boa da escola em que eu comecei a descobrir que meu mundinho podia ser mais do que eu imaginava.

E então aquela falta momentânea de trilha sonora própria se tornou ideal, porque a música que tocou sem querer no rádio me fez pensar em toda essa nova fase que me espera a partir de segunda feira. E também em como tudo na vida são fases. E principalmente, em como eu aprendi coisas sobre a vida nessa fase que estava terminando.

Aprendi que existindo cargos maiores a serem alcançados ou não, vai ter sempre alguém querendo te fuder. Fato. É a vida, e ela está cheia de espertinhos.

Mas também aprendi que pelo caminho a gente encontra muita gente disposta a lutar nossas batalhas.

Vai sempre existir aquela pessoa tímida de início, mas que com o tempo vai trabalhando a intimidade e você vai perceber que ele entende seu modo de pensar e, oras, vejam só, você também vai entender o dele. E pra não soar estranho, a justificativa vai passar a ser que vocês se entendem porque são engenheiros. Mas é claro, engenheiros pensam igual, é óbvio que vocês iriam se entender.

E aquela pessoa um dia passa a te ver não só como estagiária, mas como colega de profissão. E vai respeitar suas opiniões, e as levar em consideração. E quer saber, ele até vai pedir ajuda de vez em quando. E vai se ver salvo com as suas ideias algumas vezes também.

E um dia não se surpreenda se você se der conta que essa pessoa virou seu amigo. Que merda!

Merda? Merda porque aí vem a intimidade. O trabalho rende mais? Até rende. Mas você sabe que um dia quando for embora, vai doer mais também.

Mas quando aquela pessoa quiser rir com você, o riso vai ser sincero. E quando ele quiser reclamar da vida com você, vai ser mais emocionante. E quando você precisar xingar alguém, os ouvidos vão estar mais abertos.

E quando aquela pessoa gritar com você, vai machucar mais também. Mas quando ele vier pedir desculpas, e você fizer manha, ele vai se sentir culpado duas vezes: uma por ter gritado com você. Outra por ter te mimado. E você vai se sentir duplamente vingado: pelo grito e pela sacanagem que acabou de aprontar.

E quando um dia você tiver que deixar isso tudo pra trás e ir embora, você vai ver que aquela pessoa fez ter valido a pena. Que quase tudo que você aprendeu foi com ele. E quase tudo que você pôde ensinar, foi pra ele.

E vai bater um arrependimento por estar indo embora. Mas aí você vai se dar conta que o que você está deixando pra trás é o chefe. E não o amigo.

E amigos, minha gente... esses ficam pra sempre.

--

A todos os Fabianos Follys que possam existir por aí, obrigada por cumprirem seus papéis de chefes e amigos. E saibam que independente de causas ou salários, vocês estão fazendo a diferença.

3 comentários:

  1. Sempre q eu leio o título desse post eu lembro da música Se preparem do Rei leão.

    "...Chegou nova era, a velha já era..."

    Rs #infânciaFeeling

    ResponderExcluir
  2. Pena que dos meus chefes do Fundão tudo o que posso dizer é "Rest in Peace"

    ResponderExcluir