sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Amor, I love you

"Deixa eu dizer que te amo
Deixa eu gostar de você
Isso me acalma
Me acolhe a alma
Isso me ajuda a viver

Hoje contei pras paredes
Coisas do meu coração
Passeei no tempo
Caminhei nas horas
Mais do que passo a paixão
É um espelho sem razão
Quer amor fique aqui?..."

Fazia tempo que eu não escutava essa música e essa semana ouvi no rádio. Sempre gostei dela não só pela música em si, mas pelo trecho do livro do Eça de Queiroz que o Arnaldo Antunes recita no meio dela. Sempre achei que encaixava.

Só que só então eu parei pra pensar na letra da música e parece que enfim, naquele momento, eu tinha entendido o que ela queria dizer pra mim.

Percebi como é importante ter alguém que a gente ame do nosso lado, independente de ser namorado, amigas, família, etc e tal. Mas, mais importante, entendi como é necessário a gente deixar claro pra aquela determinada pessoa que a gente precisa que ela deixe a gente sentir esse amor por ela. Entendeu?

Parece que eu cheguei em um ponto da minha vida de onde eu consigo ver as coisas mais claras. E é estranho achar que isso talvez seja a maturidade que tanto eu ouvia falarem sobre.

Hoje parece que eu sei a fórmula pra fazer as pessoas gostarem de mim. E, o melhor, eu posso escolher em quem eu vou aplicar essa fórmula.

De repente pra mim se tornou claro que eu não preciso agradar todo mundo, porque as coisas são mais simples do que eu imaginava. As pessoas que eu amo são as pessoas que eu permito que me amem. E talvez, somente talvez, esse fato seja suficiente.

Se deixar ser amado talvez seja suficiente. E daí quase tudo se encaixa...

Loucuras à parte, deve ser o sono me pegando. E eu fico por aqui que já deu minha hora...

"... Sentia um acréscimo de estima por si mesma!
E parecia-lhe que entrava enfim numa existência
superiormente interessante...
Onde cada hora tinha seu intuito diferente
Cada passo conduzia um êxtase...
E a alma se cobria de um luxo radioso de sensações..."