sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Cartilha para convivência em transportes públicos

Visando o bem estar de todos e a felicidade geral da nação, eis que essa pessoa que vos fala bolou uma incrível-sensacional-mega-power-boladona CARTILHA PARA CONVIVÊNCIA EM TRANSPORTES PÚBLICOS !!

Esta humilde cartilha tem a pretensão de orientar o dia-a-dia dos usuários de trens, ônibus e afins de forma útil e simples, através de uma leitura bem dinâmica. Vamos lá?


1. Quando ouvindo música

1.1. Use fone.
Sabe aquele fiozinho que liga no seu radinho e tem duas bolinhas na outra ponta? Adivinha só! Ele tem uma função super legal de abafar aquilo que você está ouvindo e assim não propagar o seu funk-gospel-samba-mela-cueca para o exterior. Genial, não?

1.2. Não deixe o volume alto.
Vamos ser lógicos? Primeiro que o resto das pessoas no ambiente não precisa ouvir o que você está ouvindo, afinal, é por isso que você comprou aquele fone de três reais, né?
Segundo que ouvir música berrando faz mal pro seu ouvidinho e isso vai te deixar surdinho. E uma vez surdo, você precisa aumentar mais o volume. E aí você fica mais surdo. E aí você precisa aumentar mais o volume. E aí você fica mais surdo. E aí... entendeu onde eu quero chegar?

1.3. Não cante.
Como demonstrado anteriormente, você já aprendeu que não precisa obrigar o amiguinho do lado a saber o que você está ouvindo. Agora, pensa comigo. Se ele não quer ouvir a música original saindo do seu radinho, você acha que ele quer ouvir a sua voz bela e afinada reproduzindo o que você ouve e acha que pode cantar igual? Acho que não, né?

1.4. Não dance.
Você, pessoa feliz e de bem com a vida, que quer mostrar como está se sentindo bem, não se importa com o que os outros pensam de você e ... foda-se. As pessoas vão te olhar de cara feia se você ficar dançando sozinho.


2. Quando ao telefone

2.1. Não grite.
A gente já aprendeu no item anterior que incomodar o amiguinho com som alto não é legal, né? Isso se aplica pras conversas ao celular. Não, não interessa se você tem um celular que custou R$ 1.500,00 e que você comprou parcelado em 24 vezes nas Casas Bahia. Isso causa inveja no amiguinho do lado. Deixa ele ser feliz, vai.

2.2. Use o privado do Nextel.
Agora vamos pensar. Se já não é legal divulgar a sua vida, é menos legal ainda divulgar a vida do seu amiguinho respondendo do outro lado da linha. Não importa se o assunto é muito importante, como por exemplo, que roupa vocês vão usar no baile hoje, ném. O botãozinho do privado existe por uma razão. E eu quero acreditar que a essa altura você já aprendeu qual é...


3. Quando em pé.

3.1. Não bata no amiguinho sentado com a sua mochila.
Não adianta. Se você deu azar de parar em frente a uma pessoa pentelha, quanto mais você perturbar, menos chances você tem dela pedir pra segurar sua bagagem.

3.2. Não coloque a bolsa no ombro do amigo
E se você continuar puto porque ninguém pede pra segurar sua bolsa que pesa 3,17 toneladas, vamos combinar: aliviar o peso no ombro do amiguinho não é bonito.


4. Quando sentado

4.1. Feche as pernas
Seja educado(a). Não importa se você é menino ou menina: feche suas perninhas. Limite-se a utilizar o seu e somente o seu espaço. 

4.2. Fique quieto
Pensa comigo, colega. O ônibus tá cheio. Tá calor. O povo tá suando. A tia na sua frente fechou a janela pra não estragar a chapinha dela. E você quer ficar se sacudindo e se mexendo pra lá e pra cá? Quanto menor o esforço, menos o desconforto, tanto seu quanto do seu amiguinho. Todo mundo sai ganhando.

4.3. Hora do cochilo
Você, pessoa cansada, que aproveita a hora do trânsito pra colocar o sono em dia, preste atenção. Não é legal cair no ombro do amiguinho do lado que você nunca viu na vida. Você não consegue? Perde o controle corporal quando dorme? Eu tenho uma dica pra você! Desenvolva a técnica de dormir ereto em casa. Encoste uma cadeira em uma parede e com um pedaço de fita crepe cole sua cabeça na parede. Tire um cochilo. Faço isso uma hora por dia durante um mês. Você vai ficar retinho e fortalecer o músculo do seu pescocinho.


5. Regras gerais

5.1. Não fale sozinho
A não ser que você tenha um amiguinho imaginário. Nesse caso, fique à vontade.

5.2. Não propague o vírus
Você que anda resfriadinho e tossindo que nem um cachorro louco, seja compreensivo. Coloque a mão na boca na hora de expelir seus germes no ar. Tudo bem, pode não adiantar nada. Mas, pelo menos, ninguém se molha com a sua baba. E não, não vale melecar a mão e limpar no banco.

5.3. Não puxe conversa
Tem coisa mais chata do que você ficar tentando dormir e a pessoa do seu lado começar a contar sobre a vida dela? Quer uma dica, amiga? Finge que tá dormindo. Nunca se sabe o que a pessoa vai falar, se vai confessar um crime, um adultério, ou que gosta de pagode. É melhor prevenir. Finja que não está ouvindo.


6. Concluindo: tente ser feliz
Eu sei, amiguinhos. Andar de transporte público no Rio de Janeiro tem sido UOH ultimamente. Mas vamos ver pelo lado bom: apesar do trânsito, do desconforto e da correria, temos um trabalho pra ir e um lar pra voltar!

Espero que as dicas tornem o dia-a-dia bem humorado. Bom humor é a chave pra se virar no transporte público do Rio!

Um beijo!

Livia Ribeiro
Reclamadora Oficial do Sistema da Supervia